LÍDERES SÃO TESTADOS

Padrão

ABRAÃO PAGA O PREÇO (Gn 22.1-18)

Você sabia que Deus aplica testes como medidas de progresso e fundamentos comprovadores a cada pessoa que ele chama para liderar? Gênesis 22 começa com um teste divino. Deus chama Abraão para subir ao monte Moriá e sacrificar seu querido filho. Se Abraão se dispusesse a entregar Isaque, Deus saberia que ele estava disposto a fazer qualquer coisa que ele lhe pedisse e, portanto, seria um candidato perfeito a tornar-se o pai do povo hebreu. Os testes de liderança diferem uns dos outros, mas todos eles têm algumas coisas em comum:

I. Líderes são testados em cada estágio de crescimento.
2.O alvo para os líderes é passar no teste.
3. Testes sempre antecedem a promoção.
4. Autopromoção ou promoção conferida por outros nunca pode substituir a promoção    divina.
5. A promoção requer sacrifício.

Enquanto a prova de Abraão prefigurou o que Deus pretendia fazer com o seu unigênito Filho milhares de anos mais tarde, ela também proporcionou um teste de liderança.

FONTE: Bíblia de Estudo Liderança Cristã.

Quais são as marcas do avivamento verdadeiro?

Padrão

Quais são as marcas do avivamento verdadeiro?

Artigo, Avivamento, Luiz Sayão

holy-ghost-revival-300x300Quais seriam as marcas do verdadeiro avivamento? Nem sempre é fácil defini-las sem cair numa lista meramente legalista. Ainda que o desafio seja grande, vale a pena tentar sinalizar algumas das marcas mais inequívocas. Conheça as principais marcas do avivamento verdadeiro:

Oração

É uma das maiores ênfases do Novo Testamento (1Ts 5.17). Tanto Jesus como os discípulos oravam com freqüência. Quando alguém crê em Deus, tal pessoa ora. A maior prova de incredulidade é a falta de oração. Sem oração, não há vida espiritual verdadeira. Deus deseja agir por meio de nossas orações. A oração muda as mais diversas situações. Todavia, não nos iludamos com a aparente dedicação à oração de certos grupos extremistas. Na verdade, muito do que é chamado de oração parece mais um repetir desconexo de palavras e sons que nada têm a ver com a oração bíblica.

Louvor e Gratidão

As experiências difíceis da vida muitas vezes tornam alguns cristãos aborrecidos e revoltados contra Deus. Por isso, o coração destes torna-se duro e insensível. Quando não temos disposição de agradecer a Deus por aquilo que ele é e pelo que ele tem feito, algo está errado. Passamos a acreditar que Deus não nos ama, ou que ele não está no controle da situação, conforme pensávamos. Muitos cristãos vivem esse drama de maneira oculta no coração. É preciso mudar tal atitude, com arrependimento, e ver pela fé que Deus mantém sua bênção sobre nossa vida. Quem está cheio de alegria e de gratidão é um verdadeiro “avivado” (At 13.52), pois consegue ver quem Deus é com os olhos da fé.

Arrependimento

Há duas possibilidades de viver a vida cristã. Uma é fazer de conta que estamos bem, escondendo os erros e conflitos no nosso mundo interior. Tal atitude gera a espiritualidade farisaica e perigosa, que pretender “vender” aos outros uma boa imagem de nós mesmos. A outra maneira é “deixar a luz de Deus entrar em nossas vidas”, reconhe-cendo nossa fragilidade e pecado, voltando constantemente, com humildade, ao trono da graça de Deus, arrependidos do que somos e do que fazemos. Isso deve fazer parte de nossa vida diária. Há uma espiritualidade religiosa neurótica hoje muito diferente desse arrepen-dimento humilde. Sempre que quisermos mostrar aos outros o que não somos agimos com hipocrisia. Examinemos o coração, cheguemos ao arrependimento e à mudança de atitude.

Comunhão com os Outros

A espiritualidade falsa é egocêntrica e sectarista. Já a marca do cristão é o amor. Quem não ama seu irmão não é cristão (1Jo 3.15). Não seremos mais es-pirituais por estarmos afastados dos mais “pecadores”, pelo contrário, nossa espiritualidade se mostrará verdadeira quando estivermos dispostos a conviver com quem não pode retri-buir o bem que lhe fazemos. Aquele que conversa com uma criança e que dá atenção ao pobre e ao ignorante é de fato espiritual. Há muita gente que jejua, ora, lê a Bíblia, mas que evita certas pessoas e não fala com determinado irmão. Por causa de nosso egoísmo, sem-pre procuramos ser amigos de pessoas que podem nos recompensar de alguma forma; a espiritualidade verdadeira não tem segundos interesses e procura comunhão com todo tipo de pessoa. Um cristão espiritual consegue superar as diferenças culturais, sociais, raciais, que o separam de seu irmão na fé. Aquilo que nos une deve ser mais forte do que aquilo que nos separa!

Disposição para perdoar

Nada é mais difícil do que perdoar. Todavia, o sinal de que o poder de Deus está em nossa vida pode ser visto na disposição de perdoar. Somente quando praticamos o perdão, estaremos imitando a Cristo e seguindo os passos dos cristãos da igre-ja primitiva (veja o caso de Estêvão em At 7.59-60). O mundo sem Deus acredita no poder da força e da violência, o cristão crê no poder constrangedor do amor perdoador. Devemos enfatizar as palavras de Jesus, no final da oração do Pai Nosso: Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós; se, porém, não perdoardes aos homens, tampouco vosso Pai perdoará vossas ofensas. (Mt 6.14,15).

Interesse pelas Escrituras

A Bíblia é a Palavra de Deus. E como palavra divina é a fonte de orientação. Todavia, muitos membros de igreja têm demonstrado pouco interesse pelas Escrituras. Alguns, depois de anos na igreja, pouco sabem do livro de Deus. Outros até aprendem algo, mas isso não lhes chega ao coração. A atuação do Espírito deve produzir uma atitude de meditação e de aprofundamento na mensagem das Escrituras. O conhecimento bíblico sem a disposição de obedecer a Deus pode trazer ainda mais malefícios, pois tal conhecimento torna-se uma arma de auto-defesa. Sem a humildade trazida pelo Espírito, não conheceremos as Escrituras como devem ser conhecidas.

Obediência

Dizemos que somos servos de Deus, mas muitos cristãos são donos de suas próprias vidas e agem como se fossem os senhores. Há muita gente que pensa que, estando já salva, pode levar a vida espiritual de qualquer jeito. É como um time classificado que jo-ga pelo empate! Se não temos mais a disposição sincera de querer obedecer o que Deus ordena, ainda que soframos prejuízo com isso, não estamos agindo como cristãos. Quem não pretende mais obedecer a Deus está “jogando sujo” na vida espiritual e tem pecados ocultos em sua vida.

Mundanismo

Milhares de cristãos gastam mais tempo vendo televisão, passeando e divertindo-se do que usando o seu tempo com coisas que edificam. Na verdade, o mundanismo não está apenas nas novelas e nos programas imorais ou nas danceterias e barzinhos. Se nosso coração não ama mais a Deus, transformamos a vida cristã e da igreja em “mundo”. Nossas orações serão frias e demonstrarão palavras para os outros, nosso trabalho na igreja será apenas uma posição de honra perante os outros; tudo o que fizermos será baseado na concupiscência da carne, dos olhos e na soberba da vida. Ser mundano é não ver as coisas conforme Deus, tendo apenas essa vida como horizonte de nossos interesses. Deus nos dê cristãos que tenham a visão do Pai.

Disposição para o auto-sacrifício

Quem quiser ganhar a vida irá perdê-la, mas quem perde a vida por amor a Jesus vai achá-la novamente. (Mt 16.24,25). A fé cristã proclama a graça de Deus, que se entregou por amor em nosso favor. Nada é mais comovente. Se o poder do Espírito age em nós, devemos desenvolver a mesma disposição. Cada cristão deve fazer o seu “plano de morte”. Como gastarei minha vida de modo útil, em favor daqueles que Deus tanto ama. É claro que isso é muito difícil e que fere nosso egoísmo. Vivemos em dias quando o interesse pelo que é passageiro e fútil domina a sociedade. Mas, só faremos diferença na sociedade se estivermos dispostos a perder em favor dos outros. Sejamos imitadores de Cristo.

Evangelização e Missões

Muitas igrejas de hoje tornaram-se refúgio para os cristãos não se envolverem com os maus desse mundo. Todavia a igreja não existe para si, nem para dar conforto aos cristãos, com um “ambiente saudável”. A igreja deve cumprir seu papel de proclamar a mensagem de salvação. Toda igreja “avivada” está preocupada com o cres-cimento do reino de Deus. Sempre que o salmista tinha uma grande experiência com Deus, que o levava conhecer mais profundamente a Deus, logo começava a convidar a todos a louvar e a conhecer a Deus. Quem está espiritualmente saudável deseja compartilhar sobre Deus e sua graça com os outros. Deus nos dê um coração cheio de amor pelos perdidos.

Luiz Sayão.

FONTE: SITE Igreja Batista Nações Unidas

file:///C:/Users/Daniel/Desktop/IBNU%20_%20Igreja%20Batista%20Na%C3%A7%C3%B5es%20Unidas%20%C2%BB%20Quais%20s%C3%A3o%20as%20marcas%20do%20avivamento%20verdadeiro_.html

SETE VIRTUDES DO VENCEDOR

Padrão

Sete Virtudes do Vencedor
Então, Calebe fez calar o povo perante Moisés e disse: Subamos animosamente e possuamo-la em herança; porque, certamente, prevaleceremos contra ela.- Números 13:30

JOSUE 14-1-15
1) SEPARAÇÃO – NUMEROS 14.24
a) Deuteronômio 1.36 salvo Calebe, filho de Jefoné; ele a verá, e a terra que pisou darei a ele e a seus filhos; porquanto perseverou em seguir ao SENHOR

2) PERSEVERANÇA-NUMEROS 14-24
A) Deuteronômio 1 .36 salvo Calebe, filho de Jefoné; ele a verá, e a terra que pisou darei a ele e a seus filhos; porquanto perseverou em seguir ao SENHOR
B) E odiados de todos sereis por causa do meu nome; mas aquele que perseverar até ao fim será salvo.-Mateus 10:22

3) CORAGEM- NUMEROS 13-30
A. Se te mostrares frouxo no dia da angústia, a tua força será pequena.- Provérbios 24:10

4) PRONTIDÃO-NUMEROS 13-30
A) Em todo tempo sejam alvas as tuas vestes, e nunca falte o óleo sobre a tua cabeça.- Eclesiastes 9:8

5) CONFIANÇA-NUMEROS 13-30
A) Em Deus tenho posto a minha confiança; não temerei o que me possa fazer o homem. – Salmos 56:11

6) PACIENTE NA PERSEGUIÇÃO-NUMEROS 14.10 (26-45)
A) bem-aventurados sois vós quando vos injuriarem, e perseguirem, e, mentindo, disserem todo o mal contra
vós, por minha causa.- Mateus 5:11

7) APODERAR-SE DA BENÇÃO-NUMEROS 14-24-JOSUE 14 1-15
A. Porém o meu servo Calebe, porquanto nele houve outro espírito e perseverou em seguir-me, eu o levarei à terra em que entrou, e a sua semente a possuirá em herança.-Nm 14:24
B. Sendo, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus por nosso Senhor Jesus Cristo;- Romanos 5:1
C. Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem são as que Deus preparou para os que o amam. 1 Coríntios 2:9
D. Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.- Filipenses 4:8

Pastor Ricardo Alexandre Pereira  – Bauru/SP

FONTE: Blog, Facebook Pastor Ricardo Alexandre Pereira.

A LEITURA DA BÍBLIA

Padrão

A LEITURA DA BÍBLIA

A leitura do Livro de Deus produz os mais extraordinários efeitos na vida dos homens, não só de crentes como também de não crentes:

1. Regenera. – Tia. 1:18.
2. Vivifica. – Sal. 119:50.
3. Ilumina. – Sal. 119:130.
4. Purifica. – Sal. 119:9.
5. Dá sabedoria. – Sal. 119:98.
6. Santifica. – João 17:17.
7. Produz fé. – João 20:31.
8. Produz esperança.
9. Limpa o coração. – João 15:3; Ef. 5:26.
10. Endireita os caminhos. – Sal. 119:104.
11. Desvia-nos dos caminhos perigosos. – Sal. 119:101.
12. Mantém a vida.
13. Promove o aumento da graça.
14. Edifica na fé. – At. 20:32.
15. Admoesta. – Sal. 18:12.
16. Conforta. – Sal. 118:9.
17. Livra-nos do pecado. – Sal. 118:9.

Pastor Ricardo Alexandre Pereira  – Bauru/SP

FONTE: Blog, Facebook Pastor Ricardo Alexandre Pereira.

O DESERTO E AS EXPERIENCIAS COM DEUS – Esboço

Padrão

 

O DESERTO E AS EXPERIENCIAS COM DEUS

DEUTERONOMIO 8.1-6, 14-19

I CORÍNTIOS 10.1-6

 

 

Em comparação natural com as coisas deste mundo e os ímpios, por causa de provas e provações, a vida de um justo ie dos servos de Deus parece como que Israel em meio ao Deserto. Lá passram por enormes dificuldades e provas de fé, todavia, experimentaram a Deus de fato e em verdade como Deus, o Deus do seu povo.

 

 

ISRAEL EXPERIMENTOU DEUS COMO:

  1. Salvador, através do Sangue do Cordeiro. Êx. 12:13,42.
  2. Guia, através das colunas de nuvem e de fogo. Êx. 13:21.
  3. Libertador, no Mar Vermelho. Êx. 14:13.
  4. Médico do corpo. Êx. 15:26.
  5. Sustentador diário, com o maná. Êx. 16:15.
  6. Protetor diante do inimigo. Êx. 17:13.
  7. Aquele que habitava no meio de Israel. Êx. 40:34.

 

 

A NOSSA VIDA, COMO NA PEREGRINAÇÃO NO DESERTO:

  1. Está debaixo da direção de Deus. V.2; Jo. 16:13; Rm. 8:14.
  2. É uma vida de humildade. V.2; 1 Pe. 5 :6.
  3. É uma vida suprida. Vv.3,15; Fp. 4:19.
  4. É uma vida de dependência. V.3; Jr. 15:16.
  5. É uma vida de esperança. Vv.7-9; 1 Jo. 3:3.
  6. É uma vida de gratidão. V.10; Sl. 103; Rm. 14:6
  7. É uma vida de força. V.18; 2 Pe. 1:3.

 

 

DE TODO CORAÇÃO DEVEMOS:

  1. Buscar a Deus. Dt. 4:29.
  2. Servir a Deus. Dt. 10:12.
  3. Amar a Deus. Dt. 13:3.
  4. Obedecê-Lo. Dt. 30:2.
  5. Segui-Lo. 1 Rs.14:8.
  6. Dar-Lhe graças. Sl. 86:12.
  7. Confiar nEle. Pv. 3:5.

 

Diácono Daniel.

DPT-28/05/2011

 

 

O que dirige a sua vida?

Padrão

O QUE DIRIGE A SUA VIDA?

“Então vi que todo trabalho, e toda destreza em obras, provêm da inveja do homem contra o seu próximo. Também isto é vaidade e correr atrás do vento”. Eclesiastes 4:4

“Um homem sem um propósito é como um navio sem leme, um abandonado, um nada, um não homem”. (Thomas Carlyle)

A vida de cada um é dirigida por alguma coisa.

A maioria dos dicionários define o verbo dirigir como: guiar, controlar, direcionar. Quando você está dirigindo um carro, moto, uma bola de golfe, você está guiando, controlando e direcionando isto naquele momento. Qual é a força diretiva em sua vida? Neste exato momento pode ser um problema, uma pressão ou um momento crucial. Você pode ser dirigido por uma memória do passado, medo do futuro, ou uma crença não falada ou um assunto não identificado.

· Muitas pessoas são dirigidas por culpas. Elas gastam suas vidas inteiras correndo dos momentos de lembranças e se escondendo em sua timidez. Manipuladas por suas memórias, dirigidos por culpas. Estas pessoas permitem que seu passado controle seu futuro. É comum pessoas deste tipo punirem-se a si mesmas sabotando seus sucessos. Quando Caim pecou sua culpa o desconectou da presença de Deus, e Deus disse: “Quando lavrares o solo, não te dará ele a sua força; serás fugitivo e errante pela terra” (19). Isto descreve a maioria das pessoas de hoje – pensando em uma vida sem um propósito. Nós somos produto do nosso passado, mas não escravos dele. O propósito de Deus não é limitado pelo nosso passado. Ele pode transformar um assassino (Moisés) em um líder, um covarde como (Gideão) num herói corajoso, e Ele pode fazer coisas graciosas com o resto de sua vida também. A Bíblia diz: “Bem-aventurado aquele cuja iniqüidade é perdoada, cujo pecado é coberto” (20).

· Muitos são dirigidos por rancores e raiva. Apegam-se em feridas e não as largam mais. Ao invés de liberarem suas dores através do perdão. Eles alimentam suas mentes com o rancor. Pessoas assim agem de duas maneiras. Algumas não falam nada e internalizam tudo, outras, explodem em cima dos outros. Ambos não são saudáveis e em nada ajudam alguém. Rancores e ressentimentos, sempre machucam mais você do que a pessoa de quem você esta ressentida. Enquanto o seu ofensor provavelmente esqueceu-se da ofensa que fez e continua seguindo sua vida, você continua cultivando sua dor, perpetuando seu passado. Escute: Aqueles que te machucaram no passado não podem continuar te machucando agora, a menos que você guarde rancores. O seu passado é passado! Nada mudará isto. Você está ferindo a si mesmo relembrando e alimentando sua mente com o passado. Aprenda com o seu passado e depois o deixe. A Bíblia diz: “Porque a ira do louco o destrói, e o zelo do tolo o mata” (21).

· Milhões de pessoas são dirigidas por medo. Nossos medos podem ser resultado de uma experiência traumática, expectativas não reais, ter crescido numa família extremamente rígida, ou mesmo pré-disposição genética. Pessoas guiadas pelo medo são muito preocupadas. Valorizam a segurança e o status quo, e não se expões a situações de riscos. Eles freqüentemente perdem grandes oportunidades porque têm medo de se aventuras. Só o fazem com muita segurança. Medo é uma prisão auto-imposta que te manterá fora dos propósitos de Deus para sua vida. Você deve ir contra isto com as armas da fé e o amor. A Bíblia diz: “No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor” (22).

· Muitas pessoas são dirigidas pelo materialismo. O desejo de adquirir, se torna obsessão em sua vida. Este desejo de sempre querer mais, é baseado na concepção errada de que ter mais lhe fará feliz, mais importante, e mais seguro. Todos os três não são verdade. Possuir coisas só traz uma felicidade temporária. Nós eventualmente ficamos descontentes com alguma coisa porque ela não muda. Então acabamos querendo algo mais novo, maior, versão mais atualizada. Isto também é uma mentira se eu tiver mais, serei mais importante. Valorizar-se não é a mesma coisa que obter para si. Seu valor não é determinado por aquilo que você tem de valioso, e Deus diz que o mais valioso na vida não é aquilo que possuímos! O engano mais comum sobre o dinheiro é que, tendo mais isto me fará mais seguro. Com certeza não. Nosso vigor e saúde podem ser tirados instantaneamente através de fatores diversos que não são controlados. A segurança real só pode ser encontrada naquilo que nunca poderá ser retirado de você, sua relação pessoal com Deus. A Bíblia diz: “Quem confia nas suas riquezas cairá, mas os justos reverdecerão como a folhagem” (23).

· Muitas pessoas são dirigidas por expectativas de outros. Estas pessoas permitem que os pais, crianças, professores ou amigos, e muitos outros controlem suas vidas. Tenho encontrado muitos adultos ainda tentando obter a aprovação dos seus pais. Outros são dirigidos por pressão, sempre preocupados com o que outras pessoas vão pensar sobre eles. Aqueles que seguem a multidão se perdem nela. Um artista concluiu: “A única maneira de se agradar metade do mundo é não ligar para o que a outra metade diz”. Eu não conheço todas as chaves para o sucesso, mas uma chave para o fracasso é tentar agradar a todos. Ser controlado pela opinião de outros é um caminho para perder de vista o propósito de Deus para nossas vidas, Jesus disse: “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um, e amar ao outro; ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas” (24). Existem outras forças que podem dirigir sua vida, mas cada uma delas te guiará para um final de morte: Potencial não usado, stress não necessário, e uma vida incompleta.

Este curso lhe mostrará como ter uma vida guiada por um propósito, controlada e direcionada pelos propósitos de Deus. Não há nada mais importante do que conhecer o propósito de Deus para nossas vidas, nada pode substituir este conhecimento. Nem sucesso, saúde, fama, ou prazeres. Sem um propósito, a vida torna-se uma parada de atividades e eventos sem fim e com pouca significância. Isto é como movimento sem significado, atividade sem direção, e eventos sem razão de existir. Sem propósito a vida é trivial, pobre e sem fim determinado.

OS BENEFÍCIOS DE UMA VIDA DIRIGIDA POR PROPÓSITOS.

Existem 5 grandes benefícios de ter uma vida dirigida por propósitos:

1. Conhecer o seu propósito, dá a você sentido na vida. Nós fomos feitos para um significado. Por isto é que as pessoas tentam métodos duvidosos, como astrologia ou física para descobrir seu sentido. Quando a vida tem um significado, o ser humano pode enfrentar quase todas as barreiras, mas sem este significado, quase nada é superável. Em momentos de reflexão, nós imaginamos: Isto é tudo que existe para se viver? Existe algum significado para minha vida? Porque estou aqui? Qual o meu propósito? Minha vida tem importância? Um jovem nos seus vinte anos escreveu: “Sinto-me como se tivesse falhado, porque eu estou lutando para ser alguma coisa, e eu nem mesmo sei o que é. Tudo que eu sei como fazer é fazendo. Algum dia, se eu descobrir meu propósito, me sentirei como se estivesse começando a viver”. Sem Deus, a vida não tem propósito, sem propósito a vida não tem sentido e sem sentido a vida não tem significado ou esperança. Isaias reclamou: “Eu mesmo disse: Debalde tenho trabalhado, inútil e vãmente gastei as minhas forças; todavia o meu direito está perante o Senhor, a minha recompensa perante o meu Deus” (25); Jó disse: “Os meus dias são mais velozes do que a lançadeira do tecelão, e se findam sem esperança” (26); e “Estou farto da minha vida; não quero viver para sempre. Deixa-me, pois, porque os meus dias são um sopro” (27). A maior tragédia não é a morte, mas sim uma vida sem propósito. A esperança é tão essencial para sua vida assim como é o ar e a água. Você precisa de esperança. O Dr. Bernie Siegel achou que ele poderia predizer qual dos seus pacientes de câncer iria ser curado perguntando-lhes “Você quer viver para ver seus 100 anos?” Aqueles com um profundo senso de propósito de sua vida responderam: “Sim”, e foram os que mais sobreviveram. Esperança vem de ter um propósito. Se você se sente sem esperança. Agüente firme! Maravilhosas mudanças aconteceram em sua vida assim que você começar a viver por um propósito. Deus diz: “Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que desejais” (28). Paulo disse em sua experiência: “Ora aquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos, ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós, a ele seja a glória, na igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre. Amém” (29).

2. Conhecer o seu propósito simplifica sua vida. Isto define o que você faz, e o que você não faz. Seu propósito se torna sua bandeira e o parâmetro para avaliar quais atividades são essenciais e quais não. “Esta atividade me ajuda a completar um dos propósitos de Deus para minha vida?” Sem um propósito claro, você não tem uma base sólida para basear suas decisões, alocar o seu tempo e usar os seus recursos. Você tenderá a fazer escolhas baseadas em circunstâncias, por pressões externas ou mesmo de acordo com o seu temperamento naquele momento. Pessoas que não sabem ou conhecem o propósito de suas vidas, tentam fazer tentas coisas e manter todas elas – isto causa stress, fadiga e conflitos nos relacionamentos. É impossível fazer todas as coisas que as pessoas querem que você faça. Você só tem tempo suficiente para fazer a vontade de Deus. Se você não consegue fazer com que tudo funcione, isto significa que você esta fazendo ou tentando fazer mais do que Deus desejou que você fizesse. Uma vida dirigida por propósitos simplifica nosso estilo de vida e ameniza nosso quadro de horários. A Bíblia diz: “Uns se dizem ricos não tendo nada, outros se dizem pobres, sendo muito ricos” (30) Isto também nos conduz a paz em nossas mentes: “Tu Senhor conservaras em perfeita paz aquele cujo propósito é firme; porque ele confia em ti” (31).

3. Conhecer o seu propósito determina o foco da sua vida. Isto concentra todo seu esforço e energia naquilo que é importante. Você se torna efetivamente seletista. É natural do homem se distrair com coisas menores. Fazemos da nossa vida o jogo de um hobby trivial. Thoreau observou que pessoas vivem vidas de “desesperados” mas hoje uma melhor descrição é “distração sem utilidade”. Muitas pessoas são como giroscópios rodando em círculos numa velocidade tremenda, mas não chegando a lugar algum. Sem um propósito claro, você sempre mudará de direção, empregos, relacionamentos, igrejas e outras coisas – na esperança de que cada uma destas mudanças vá colocar fim em toda a confusão que está em seu coração. Você pensa, “Talvez desta vez será diferente”, mas isto não resolve o problema. Pessoas não têm a intenção de perderem tempo em suas vidas, elas simplesmente fazem isto como padrão. A Bíblia diz: “Por esta razão, não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual a vontade do Senhor” (32); “Os teus olhos olhem direito e as tuas pálpebras, diretamente diante de ti” (33). O poder do foco pode ser observado na lâmpada. Lâmpadas com foco aberto têm pouco impacto, mas você pode concentrar toda a sua energia e foca-la num só ponto fazendo com que toda sua energia seja direcionada. Usando um vidro magnificado, os raios do sol podem colocar fogo na grama ou num pedaço de papel. Se a luz for mais focalizada ainda como o laser, pode até cortar metais. Não existe nada mais potente do que uma vida focada, uma vida com um propósito. Nas mãos de Deus, revigorados pelo seu Espírito, uma vida dirigida por propósitos é uma ferramenta poderosa para o bem. Os homens e mulheres que têm feito diferença na história são os que mantiveram seu foco. Por exemple, o apóstolo Paulo quase que sozinho, espalhou o Cristianismo por todo o império Romano. Seu segredo foi uma vida focada. Ele disse: “Irmãos, quanto Amim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das cousas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus” (34). Se você deseja que sua vida tenha impacto, então foque-a. Pare de ficar experimentando. Pare de fazer tudo. Faça menos. Elimine mesmo as boas atividades e faça somente aquelas que importam mais para o propósito de Deus em sua vida. Nunca confunda atividade com produtividade. Você pode ser ocupado sem ter um propósito, mas qual é o alvo? Paulo diz: “Todos, pois, que somos perfeitos, tenhamos este sentimento; e, se porventura pensais de outro modo, também isto Deus vos esclarecerá” (35).

4. Conhecer seu propósito motiva sua vida. Propósito produz paixão. Nada mais potencializa nossa energia do que um propósito claro. A paixão dissipa qualquer falha quando você não atinge o propósito. Deixar a falha de fora pode se tornar uma tarefa difícil e significa muito trabalho, não tanto trabalho que venha tirar nossa força ou tirar nossa alegria. George Bernard Shaw escreveu: “Esta é a verdadeira alegria na vida: Ser usando para um propósito poderoso. Sendo a força da natureza, muito mais que um pequeno clone egoísta de alimentos e palavras relacionadas, reclamando que o mundo não se dedicará para fazer você feliz”.

5. Completar o seu propósito criará uma herança eterna. Todos querem ser relembrados quando não mais estão presentes, mas definitivamente o que mais importará não é o que outros vão dizer sobre sua vida, mas o que Deus diz sobre você. Fama, louvores de homens, são objetivos indignos de vida. Arquivos são jogados fora, recordes quebrados, reputações desaparecem, e tributos são esquecidos. No Colegial, James Dobson tinha um objetivo, tornar-se o campeão de tênis da escola. Ele trabalhou tão duro que se sentiu orgulhoso quando viu o troféu no gabinete de troféus da escola. Anos mais tarde, alguém mandou pelo correio aquele troféu para ele. Eles encontraram aquele troféu numa lata de lixo quando a escola estava passando por uma reforma. Jim percebeu que daqui a algum tempo todos os seus troféus seriam jogados no lixo por um outro alguém. Viver para criar uma herança aqui na terra é um objetivo muito pequeno. A maneira mais sábia de gastar o seu tempo é construir uma vida que nos trará uma herança eterna. Você não foi posto na terra para ser lembrado. Você foi posto aqui para preparar-se para a eternidade. A Bíblia diz: “Tu, porém, por que julgas a teu irmão? E tu, por que desprezas o teu? Pois todos compareceremos perante o tribunal de Deus… assim, pois cada um de nós dará contas de si mesmo a Deus” (36). Um dia, você estará de pé em frente a Deus e Ele talvez fará algumas perguntas, como esta: “O que você fez com meu filho Jesus Cristo?” Ele não perguntará sobre todo o seu conhecimento doutrinário teológico ou a que denominação você pertencia. A única coisa que importa é se você desenvolveu um relacionamento pessoal com Jesus. Jesus disse: “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim” (37). Talvez uma outra pergunta seja: “O que você fez com aquilo que eu dei para você?” “O que você fez com a sua vida – todos os dons, talentos, oportunidades, saúde, força, relacionamentos e recursos que eu te dei?” “Você os gastou para seu próprio benefício, ou você usou-os para os propósitos que eu criei você?” Preparar você para estas questões é o objetivo deste curso. A primeira pergunta determinará o que você fará na eternidade. No final deste curso, você estará apto a responde-las.

Fonte: Vida Com Propósitos – Esboços e Mensagens.

DEDICAÇÃO DE CRIANÇAS – Cerimônias

Padrão

DEDICAÇÃO DE CRIANÇAS

Fonte: MANUAL DE CERIMONIAS E LITURGIAS PARA O MINISTRO EVANGÉLICO. ÓTIMO MATERIAL

Publicado em 17/03/2009 por josiasmoura

Nas Sagradas Escrituras não há nenhum ensinamento 0u exemplos que autorizem o batismo de crianças. Conforme ensinamento do Novo Testamento, o candidato ao batismo deve ter se arrependido de seus pecados (Atos 2:38), e ter crido em Jesus Cristo (Atos 8:37). Aqueles que ainda não podem fazer o uso completo da razão, não estão em condições de cumprir esses dois requisitos. As crianças estão nesta condição.

Por outro lado, as Escrituras ensinam acerca da apresentação pública das crianças a Deus, durante a qual pedimos ao Senhor que abençoe as crianças e a vida que elas terão pela frente.

Quando assim procedemos, estamos seguindo a prática admitida pela Igreja de todos os tempos. Não é o batismo em água, e sim uma apresentação de crianças a Deus, uma ação de graças e de fé, uma súplica pela bênção divina.

CERIMÔNIA 1

Hino ou corinho

Os pais trarão a criança à frente enquanto se canta um hino ou um corinho apropriado.

Leitura bíblica

O ministro fará a leitura das seguintes passagens:

“Traziam-lhe crianças para que as tocasse, mas os discípulos os repreendiam. Jesus, porém, vendo isto, indignou-se, e disse-lhes: Deixai vir a mim as criancinhas,

e não as impeçais, pois das tais é o reino de Deus. Em verdade vos digo que quem não receber o reino de Deus como criança, de maneira nenhuma entrará nele. E tornando-as nos braços e impondo-lhes as mãos, as abençoou.” (Marcos 10:13-16).

“Trouxeram-lhe então algumas crianças, para que lhes impusesse as mãos, e orasse. Mas os discípulos os repreendiam. Jesus, porém, disse: Deixai os pequeninos, e não os impeçais de vir a mim, pois dos tais é o reino dos céus. E, tendo-lhes imposto as mãos, partiu dali.” (Mateus 19:13-15).

“Ouve, ó Israel: O Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de toda a tua força. Estas palavras que hoje te ordeno estarão no teu coração. Tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, andando pelo caminho, deitando-te e levantando-te. Também as atarás na tua mão por sinal, e te serão por faixa entre os teus olhos. E as escreverás nos umbrais da casa, e nas portas.” (Deuteronômio 6:4-9).

“Assim também não é da vontade de vosso Pai que está nos céus que um destes pequeninos se perca.” (Mateus 18:14).

Exortação à igreja:

Dirigindo-se à igreja, o ministro dirá:

“Meus amados irmãos e amigos, Deus ordenou a família como uma instituição divina desde o começo da humanidade. Os filhos são herança que o Senhor tem confiado ao cuidado de seus pais. Portanto, os pais têm perante Deus e a sociedade a responsabilidade de velar

pelos seus filhos. Damos testemunho de que Cristo é Rei e Senhor sobre nossa vida e a vida de nossos filhos.

“Nós nos comprometemos, enquanto nos for possível, a instruir este menino (ou esta menina, ou estas crianças), em sua lei e em sua santa vontade. A Bíblia nos oferece muitos exemplos disto.

“Joquebede instruiu ao seu filho Moisés depois de tê-lo entregue ao Senhor. Ana reconheceu que seu filho Samuel pertenceria a Jeová. Maria levou seu filho ao templo para dedicá-lo a Deus.

“Os pais deste menino (ou desta menina) reconhecem sua responsabilidade de educar, ensinar e exortar a esta criatura no temor e obediência da Palavra de Deus desde seus primeiros anos de vida.

“Trazemos à presença de Deus as crianças que ele nos tem confiado, as dedicamos a ele e suplicamos que ele as abençoe.”

Pacto

O ministro pedirá aos pais que assumam um compromisso com relação à criança, fazendo-lhes as seguintes perguntas:

Ministro: “Diante de Deus e destas testemunhas, vocês prometem criar esta criança no temor do Senhor?”

Os pais responderão: “Sim, prometemos.”

Ministro: Vocês prometem, além disto, guiá-la diariamente no pleno conhecimento do caminho do Senhor?”

Os pais: “Sim, prometemos.”

Ministro: “Vocês prometem instruí-la para que conheça a Cristo como seu Salvador pessoal?”

Os pais: “Sim, prometemos.”

Ministro: “Prometem, enquanto estiver sob o controle de vocês, dar a esta criatura um exemplo sólido e piedoso da vida cristã?”

Os pais: “Sim, prometemos.”

Ministro: “Vocês apresentam este menino (ou esta menina) em solene e sincera dedicação a Deus?”

Os pais: “Sim, apresentamos.”

Ministro: “Vocês prometem dedicar-se a criar este menino (ou esta menina) na doutrina e nos ensinamentos da santa Palavra de Deus?”

Os pais: “Sim, prometemos.”

Ministro: “Prometem criar este menino (ou esta menina) na prática diária da oração, e ajudar-lhe a formar o caráter cristão, e a fazer tudo que estiver ao alcance de vocês para criá-lo em seu lar, em um ambiente de devoção a Deus?”

Os pais: “Sim, prometemos.”

Ministro: “Baseando-me no fato de vocês terem prometido diante de Deus e desta congregação dedicar esta criança a Deus, e o terem afirmado com suas

próprias palavras, eu os exorto a se dedicarem a esta sagrada obrigação com sabedoria, perseverança e esforço.”

Dedicação

Tomando a criança nos braços (se não houver inconveniente) e colocando as mãos sobre ela, o ministro dirá:

” ____________________ (nome da criança), nós dedicamos você ao Deus Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Que o Senhor lhe fortaleça todos os dias de sua vida.”

Oração dedicatória

“Agora, Pai, Criador do céu e da terra, nós te rogamos pelo bem-estar desta criança. Livra-a das cadeias do pecado e das enfermidades do corpo. Que à medida que ela for crescendo em idade e estatura, cresça também na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Dá aos seus pais sabedoria para que a criem em seus caminhos. Nós a dedicamos a tua honra e ao teu serviço, em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. Amém.”

Hino ou corinho final

Uma vez que o ministro tenha orado, um hino ou um corinho será cantado. Enquanto a igreja canta, os pais voltarão aos seus assentos e o ministro voltará ao púlpito para se despedir da congregação.

CERIMÔNIA 2

Hino ou corinho

Enquanto os pais caminham até a frente com o menino (ou a menina), um hino ou corinho apropriado será cantado.

Leitura bíblica

O ministro descerá do púlpito para encontrar-se com os pais da criança, e fará a seguinte leitura bíblica:

“Passado algum tempo, Ana concebeu e deu à luz um filho. Chamou-o Samuel, dizendo: Tenho-o pedido ao Senhor… Havendo-o desmamado, tomou-o consigo, com um novilho, de três anos, um efa de farinha e um odre de vinho, e o levou à casa do Senhor, em Silo. Era o menino ainda muito criança… Pelo que também agora eu o entrego ao Senhor. Por todos os dias que viver pertencerá ao Senhor. E adoraram ali ao Senhor… Crescia Samuel, e o Senhor era com ele, e nenhuma de todas as suas palavras deixou cair em terra.” (1 Samuel 1:20,24-28:3:19).

Em seguida comentará:

“No Novo Testamento lemos a respeito de Cristo, que, ao completar oito dias de nascido, ‘segundo a lei de Moisés, levaram-no a Jerusalém para o apresentar ao Senhor… Havia em Jerusalém um homem cujo nome era Simeão; este homem, justo e temente a Deus, esperava a consolação de Israel, e o Espírito Santo estava sobre ele… ele então o tomou nos braços, e louvou a Deus, dizendo: Agora, Senhor, despede em paz o teu servo,

segundo a tua palavra, pois os meus olhos já viram a tua salvação… O pai e a mãe do menino admiraram-se das coisas que dele se diziam… E o menino crescia, e se fortalecia, enchendo-se de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele.’” (Lucas 2:22,25,28-30,33,40).

“O Antigo Testamento também nos dá sábios conselhos a respeito da educação de crianças:

‘Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele.’ (Provérbios 22:6).

‘Disse o Senhor: Ocultarei eu a Abraão o que faço…? Pois eu o escolhi para que ordene a seus filhos e a sua casa depois dele, para que guardem o caminho do Senhor, para que pratiquem a justiça e o juízo, a fim de que o Senhor faça vir sobre Abraão o que acerca dele tem falado.’ (Gênesis 18:17,19).

‘Estas palavras que hoje te ordeno estarão no teu coração. Tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, andando pelo caminho, deitando-te e levantando-te.’ (Deuteronômio 6:6-7).”

Pacto

Dirigindo-se aos pais, o ministro dirá:

“Irmãos, estamos aqui reunidos neste momento solene e de muita felicidade. Da mesma forma como Maria e Ana nos tempos bíblicos, vocês trouxeram esta criança ao templo para apresentá-la a Deus. Vocês já conhecem as palavras do Mestre: Deixai os pequeninos, e não os impeçais de vir a mim, pois dos tais é o reino dos céus.’

“É correto que vocês tragam esta criança com poucos dias de nascida. O mistério e a maravilha desta

nova vida os faz vir com temor reverente perante o Pai de toda a vida, para que ele lhes dê uma nova mensagem referente à dignidade da vida e a responsabilidade da paternidade.

“O propósito deste ato é ajudá-los, como pais, a apreciar a responsabilidade de instruir a este menino (ou a esta menina) nos caminhos do Senhor, para que quando estiver fazendo uso da razão, escolha o bem sobre o mal e aceite a Jesus Cristo como seu Salvador e Mestre. Deus tem um propósito para a vida desta criança. Encontrar este propósito e executa-Io significará o êxito; rejeitá-lo ou ignorá-lo significará fracasso, não importa quanto nos considere e aplauda o mundo. E seu privilégio e dever guiar o seu filho (ou sua filha) dentro da vontade perfeita de Deus para sua vida.

“Neste empenho, vocês devem consagrar-se hoje mesmo; para isto vocês hoje estão dedicando seu filho (ou sua filha) a Deus.”

“De acordo com o propósito para o qual vocês vieram aqui, devem responder as seguintes perguntas.”

Ministro: “Vocês estão apresentando esta criança perante Deus para dedicá-la solenemente ao serviço do Senhor?”

Os pais: “Sim.”

Ministro: “Vocês se dedicarão, como pais desta criança, a instruí-la nos caminhos do Senhor?”

Os pais: “Sim.”

Ministro: “Prometem instruí-la nos ensinamentos de Jesus Cristo, e guiá-la no desenvolvimento de um

caráter cristão?”

Os pais: “Sim.”

Ministro: “Prometem modelar até onde for possível a vida desta criança, mediante uma exemplar conduta doméstica, tanto pela palavra como pelo exemplo, para que na idade apropriada ela aceite a Jesus Cristo, participe da comunhão dos crentes e realize serviços para a Igreja de nosso Senhor Jesus Cristo?”

Os pais: “Sim.”

Ministro: “Visto que vocês prometeram diante de Deus e desta congregação dedicar esta criança a Deus, e o têm afirmado com suas próprias palavras, eu os exorto a se dedicarem a esta sagrada responsabilidade com sabedoria, perseverança e santa devoção.”

Oração dedicatória

“Agora, ó Pai, Criador dos céus e da terra, eu rogo-te pelo bem-estar deste menino (ou desta menina). Livra-o (a) das ciladas do pecado e das enfermidades do corpo. Que à medida que ele (a) for crescendo em idade e em estatura, cresça também na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Conceda sabedoria a seus pais para que a criem em seus caminhos, dedicando esta criança a tua honra e ao teu serviço, em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. Amém.”

Bênção pastoral

“O Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti. O Senhor sobre ti levante o seu

rosto, e te dê a paz.”

Hino ou corinho final

Uma vez que o ministro tenha terminado de pronunciar estas palavras, a igreja cantará um hino ou um corinho apropriado.